Notícias‎ > ‎

RS e TDF assinam protocolo de intenções em prol dos padrões abertos

postado em 8 de jul de 2013 13:10 por Gustavo Pacheco   [ 8 de jul de 2013 13:12 atualizado‎(s)‎ ]

O Estado do Rio Grande do Sul e a The Document Foundation assinaram acordo para o fortalecimento da utilização dos formatos abertos de documentos 

Na manhã de ontem, durante o 14º Fórum Internacional Software Livre (fisl14), o Estado do Rio Grande do Sul, por intermédio da Secretaria Geral de Governo, com a interveniência do Departamento de Tecnologia da Informação e Telecomunicações, e a The Document Foundation firmaram o Protocolo ODF (Open Document Format). O objetivo é a realização de ações conjuntas para o desenvolvimento e a promoção de políticas públicas de uso de padrões abertos nas administrações governamentais.

Conforme o Secretário-Geral de Governo, Vinicius Gomes Wu, o Governo do Estado do Rio Grande do Sul vive uma fase importante quanto ao padrão de formatos abertos. Segundo Wu, é preciso aprofundar iniciativas para o desenvolvimento de tecnologias para a autonomia, democratização da informação e para a soberania do Estado. “Queremos transformar o Estado em referência na adoção de formatos abertos em sua estrutura”, salientou.

O representante da The Document Foundation, Olivier Hallot, destacou a relevância da instituição que defende a liberdade de software e sua independência. Já o diretor-presidente da Companhia de Processamento de Dados do Estado do Rio Grande (Procergs), Carlson Aquistapasse, afirmou que o acordo demonstra avanço. “Temos o desafio de usar a tecnologia para aprofundar a democracia”, disse. Para o coordenador geral da Associação Software Livre (ASL), Ricardo Fritsch, o protocolo assinado representa um passo importante para assegurar o uso de padrões abertos de documentos no Estado do Rio Grande do Sul.

A iniciativa de apoiar oficialmente a utilização de formatos abertos já é realidade no Governo Federal. De acordo com Rogério Alves de Souza, presidente do Comitê Executivo da Secretaria Geral de TIC do governo gaúcho, no Rio Grande do Sul essa iniciativa deve reduzir em 98% o gasto com licenças de softwares de escritório, que hoje chega a R$ 50 milhões no estado.

“A nossa nova orientação fará com que órgãos da administração pública direta, fundacional e autárquica precisem justificar a escolha de outras soluções não baseadas em ODF daqui para frente”, explica Souza.

Comments