Notícias

RS State Government and TDF sign an agreement to promote open documents formats

postado em 9 de jul de 2013 11:10 por Gustavo Pacheco   [ 9 de jul de 2013 11:52 atualizado‎(s)‎ ]

The State Government of Rio Grande do Sul (RS) and The Document Foundation (TDF) signed an agreement for strengthening usage of open documents formats

Photo: Tárlis Schneider - Indice Foto

Yesterday morning during 14th International Free Software forum (fisl14), the State of Rio Grande do Sul, through its General Secretariat and IT Secretariat and The Document Foundation signed the ODF Protocol (Open Document Format). The goal is the promotion of joint actions for development and promotion of public policies of usage of open standards in government administrations.

According to Government General Secretary Vinicius Gomes Wu, the State Government is living an important step in regarding open formats. He says that it is necessary to deepen initiatives for developing technologies for autonomy, information democratization and State sovereignity. "We want to make RS State an example in adoption of open standards formats in its structure", he said.

The Document Foundation Representative Olivier Hallot, stressed the relevance of the institution that defends software freedom and its independence. The Director-president of the State Data Processing Company (Procergs), Carlson Aquistapasse, considered the agreement a welcome advancement. "We have the challenge to use technology to deepen democracy", he said. For the General Coordinator of Associação Software Livre (ASL), Ricardo Fritsch, the signed protocol is an important step to ensure use of open standards formats in Rio Grande do Sul.

According to Rogério Alves de Souza, President of the IT Committee in the RS State Government, the move shall reduce in 98% the expenses with proprietary licenses to office software, which today reaches R$ 50 millions in the whole State. "Our new recommendations will make mandatory for public agencies to justify the choice for other formats and solutions not based on ODF henceforth", explains Souza.

(fonte: fisl14)

RS e TDF firman protocolo de intenciones para la expansión de los formatos abiertos de documentos

postado em 9 de jul de 2013 11:04 por Gustavo Pacheco   [ 9 de jul de 2013 11:53 atualizado‎(s)‎ ]

El Estado de Rio Grande do Sul (RS) y The Document Foundation (TDF) firmaron un acuerdo para el fortalecimiento de la utilización de los formatos abiertos de documentos

Foto: Tárlis Schneider - Indice Foto

Este miércoles 3, dentro de la programación del 14º Foro Internacional Software Libre (fisl14), el Estado de Rio Grande do Sul, por intermedio de la Secretaría General de Gobierno, con la intervención del Departamento de Tecnología de la Información y las Telecomunicaciones, y The Document Foundation firmaron el Protocolo ODF (Open Document Format). El objetivo es la realización de acciones conjuntas para el desarrollo y la promoción de políticas públicas de uso de estándares abiertos en las administraciones gubernamentales.

Según el Secretario General del Gobierno, Vinicius Gomes Wu, el Gobierno del Estado de Rio Grande do Sul vive una fase importante en cuanto al estándar de formatos abiertos. Según Wu, es necesario profundizar iniciativas para el desarrollo de tecnologías para la autonomía, democratización de la información y para la soberanía del Estado. “Queremos transformar el Estado en referencia a la adopción de formatos abiertos en su estructura”, afirmó.

El representante de The Document Foundation, Olivier Hallot, destacó la relevancia de la institución que defiende la libertad de software y su independencia. El director-presidente de la Companhia de Processamento de Dados del Estado de Rio Grande (Procergs), Carlson Aquistapasse, afirmó que el acuerdo demuestra el avance. “Tenemos el desafío de usar la tecnología para profundizar la democracia”, dice. Para el coordinador general de la Associação Software Livre (ASL), Ricardo Fritsch, el protocolo firmado representa un paso importante para asegurar el uso de estándares abiertos de documentos en el Estado de Rio Grande do Sul.

De acuerdo con Rogério Alves de Souza, presidente del Comité Ejecutivo de la Secretaría General de TIC del gobierno gaúcho, en Rio Grande do Sul esa iniciativa debe reducir en un 98% el gasto en licencias de software de escritorio, que hoy llega a los R$ 50 millones en el estado.

“Nuestra nueva orientación hará que los órganos de la administración pública directa, fundacional y autárquica precisen justificar la elección de otras soluciones no basadas en ODF de aquí en adelante”, explica Souza.

(fonte: fisl14)

RS e TDF assinam protocolo de intenções em prol dos padrões abertos

postado em 8 de jul de 2013 13:10 por Gustavo Pacheco   [ 8 de jul de 2013 13:12 atualizado‎(s)‎ ]

O Estado do Rio Grande do Sul e a The Document Foundation assinaram acordo para o fortalecimento da utilização dos formatos abertos de documentos 

Na manhã de ontem, durante o 14º Fórum Internacional Software Livre (fisl14), o Estado do Rio Grande do Sul, por intermédio da Secretaria Geral de Governo, com a interveniência do Departamento de Tecnologia da Informação e Telecomunicações, e a The Document Foundation firmaram o Protocolo ODF (Open Document Format). O objetivo é a realização de ações conjuntas para o desenvolvimento e a promoção de políticas públicas de uso de padrões abertos nas administrações governamentais.

Conforme o Secretário-Geral de Governo, Vinicius Gomes Wu, o Governo do Estado do Rio Grande do Sul vive uma fase importante quanto ao padrão de formatos abertos. Segundo Wu, é preciso aprofundar iniciativas para o desenvolvimento de tecnologias para a autonomia, democratização da informação e para a soberania do Estado. “Queremos transformar o Estado em referência na adoção de formatos abertos em sua estrutura”, salientou.

O representante da The Document Foundation, Olivier Hallot, destacou a relevância da instituição que defende a liberdade de software e sua independência. Já o diretor-presidente da Companhia de Processamento de Dados do Estado do Rio Grande (Procergs), Carlson Aquistapasse, afirmou que o acordo demonstra avanço. “Temos o desafio de usar a tecnologia para aprofundar a democracia”, disse. Para o coordenador geral da Associação Software Livre (ASL), Ricardo Fritsch, o protocolo assinado representa um passo importante para assegurar o uso de padrões abertos de documentos no Estado do Rio Grande do Sul.

A iniciativa de apoiar oficialmente a utilização de formatos abertos já é realidade no Governo Federal. De acordo com Rogério Alves de Souza, presidente do Comitê Executivo da Secretaria Geral de TIC do governo gaúcho, no Rio Grande do Sul essa iniciativa deve reduzir em 98% o gasto com licenças de softwares de escritório, que hoje chega a R$ 50 milhões no estado.

“A nossa nova orientação fará com que órgãos da administração pública direta, fundacional e autárquica precisem justificar a escolha de outras soluções não baseadas em ODF daqui para frente”, explica Souza.

Agende-se! OpenDocument Format e LibreOffice no fisl14!

postado em 1 de jul de 2013 06:28 por Gustavo Pacheco

A 14.ª edição do Fórum Internacional Software Livre, que acontecerá em Porto Alegre/RS de 3 a 6 de julho, contará com diversas atividades relacionadas ao LibreOffice e ao OpenDocument Format (ODF). Neste ano, a novidade fica por conta das participações internacionais de Italo Vignoli (Itália) e Bjoern Michaelsen (Alemanha) que, respectivamente, abordarão temas estratégicos e técnicos ligados à adoção de padrões abertos e softwares livres. Italo apresentará as palestras LibreOffice: the HistoryA Reference Protocol for Migrations to Free Software and Open Document Standards. Bjoern ministrará a oficina LibreOffice Workshop e apresentará as palestras LibreOffice Project: Getting InvolvedLibreOffice – Continuous community integration.

A tradicional participação da comunidade brasileira também estará no fisl14. Logo na manhã do primeiro dia, Klaibson Ribeiro apresentará o LibreLogo, uma novidade incorporada em definitivo ao LibreOffice 4 com foco no ensino dos conceitos básicos de programação. No início da tarde, teremos o painel A importância da regulamentação dos padrões abertos para o ecossistema ODF, onde discutiremos os resultados já alcançados com as leis ODF já existentes, o desafio da execução e da manutenção dessas normatizações e a articulação para a adoção em outras esferas administrativas. No dia 5, Olivier Hallot ministrará a oficina Modificando a Interface do LibreOffice, que apresentará o desenvolvimento das novas estruturas de diálogo do LibreOffice, tarefa em que a comunidade brasileira tem se destacado pela participação e contribuição. A tarde, Eliane Domingos coordenará as atividades do Encontro Comunitário do LibreOffice onde José Guilherme Vanz e Marcos Paulo de Souza apresentarão a sua experiência de um ano de atividades como desenvolvedores voluntários do Libreoffice. O dia terminará com a palestra A Migração para Formatos Abertos de Documentos no Governo do Rio Grande do Sul, que mostrará o caso de adoção do ODF e do LibreOffice na Secretaria Geral de Governo.

Abaixo, estão listadas todas as atividades! Se você quiser saber ainda mais, visite a página oficial do evento e agende-se para quatro dias cheios de conhecimento e colaboração!

03/07/2013 11:00 – 12:00
sala P11
Palestra – LibreLogo – Veja Como é Fácil Iniciar na Programação
Klaibson Natal Ribeiro Borges

Nessa apresentação, será apresentada a linguagem Logo, criada no final dos anos 60, com o objetivo de ensinar programação movendo uma pequena tartaruga apenas com linhas de comando. O LibreLogo era uma extensão até o LibreOffice Writer 3.6 e vem por padrão a partir da versão 4.0. Serão mostrados exemplos de como é simples iniciar o processo de programar, que pode ser ensinado para crianças pequenas, adolescentes e até adultos.

03/07/2013 15:00 – 16:00
sala 40T – GNU
Debate – A importância da regulamentação dos padrões abertos para o ecossistema ODF
Antonio Augusto Ribeiro Guimarães, Gustavo Pacheco, Italo Vignoli, Klaibson Natal Ribeiro Borges, Vitorio Furusho

Nos últimos anos, a regulamentação do uso preferencial de padrões abertos para interoperabilidade, em especial quanto ao padrão OpenDocument Format (ODF) tem sido tema constante na pauta dos gestores de tecnologia da informação. O objetivo desta atividade é apresentar e debater, com representantes de localidades do Brasil e do exterior, os diferentes desafios da regulamentação legal dos padrões abertos.

03/07/2013 16:00 – 17:00
sala 40T – GNU
Palestra – LibreOffice Project: Getting Involved
Bjoern Michaelsen

LibreOffice is one of the biggest and most important open source projects. Still we actively encourage volunteers to get involved. This talks presents possible entry points for a newcomer to get started and explains how the project takes effort to make your first contribution into the product less intimidating. Building on that, this talk will also showcase what some volunteers maanged to archive and finally present you a set of opportunities to easily make your first contribution.

04/07/2013 10:00 – 13:00
sala 714
Oficina – LibreOffice Workshop
Bjoern Michaelsen

The LibreOffice workshop will be an hands-on workshop, covering these topics, depending on interest in the audience: – Building LibreOffice on Linux – running test suites – finding and fixing EasyHacks – testing developer builds – using gerrit.libreoffice.org and its build bots – tinderbox.libreoffice.org – bug triage – regression hunting with LibreOffice bibisect (https://wiki.documentfoundation.org/Bibisect) – whatever LibreOffice development topics come up during the session.

04/07/2013 15:00 – 16:00
sala 40T – GNU
Palestra – LibreOffice: the History
Italo Vignoli
The birth of The Document Foundation and LibreOffice, and the growth of the project during the first three years: the new governance model, the development strategy through the numbers and the new features, and the future of the free office suite.

05/07/2013 10:00 – 13:00
sala 714
Oficina – Modificando a Interface do LibreOffice
Olivier Hallot

Nesta oficina, proporemos mostrar como estamos mudando a interface do LibreOffice, através da adoção das tecnologias livres do GTK. É uma sessão “mão na massa” para desenvolvedores com capacidade para programar em C++ no LibreOffice. Ao final os participantes saberão como contribuir com novas caixas de diálogo do LibreOffice.

05/07/2013 15:00 – 16:00
sala 41A – Tux
Palestra – A Reference Protocol for Migrations to Free Software and Open Document Standards
Italo Vignoli
The Document Foundation has developed a reference protocol to ease migrations to free software and open document standards, targeted to enterprises and organizations, which has been thoroughly tested in Italy for the migration of Regione Umbria (Italia) to LibreOffice.

05/07/2013 16:00 – 18:00
sala 701
Encontro Comunitário – Encontro Comunitário LibreOffice: Brasil, um caso de paixão
Eliane Domingos de Sousa, José Guilherme Vanz, Marcos Paulo de Souza

O Brasil é um dos países que mais adotou o LibreOffice no mundo. Sob a coordenação da nova geração de desenvolvedores brasileiros, o Encontro Comunitário do Projeto LibreOffice apresentará os marcos alcançados pelo projeto em quase três anos de existência. Além do desenvolvimento, serão debatidas as articulações colaborativas nas demais áreas do projeto.

05/07/2013 18:00 – 19:00
sala 41C
Palestra – A Migração para Formatos Abertos de Documentos no Governo do Rio Grande do Sul
Rogério Alves

Apresentação do caso de implementação do LibreOffice como suíte de escritórios padrão, homologada pelo Estado do Rio Grande do Sul, na Secretaria-Geral de Governo aos Gestores de Tecnologia da Informação e Comunicação – FórumTIC.

06/07/2013 14:00 – 15:00
sala 40T – GNU
Palestra – LibreOffice – Continuous community integration
Bjoern Michaelsen

The LibreOffice has seen a tremendous growth since it was started 2 1/2 years ago, especially in the number of unaffiliated volunteer contributors. This growth came with a constant challenge to (re-)evaluate the communication and coordination means of the project. This talk gives an insight in how coordination in such a massive and distributed project works, but also tries to give some cautious hints what parts of that might apply to smaller projects.


Incorporando o LibreOffice em um código VB.NET

postado em 21 de jan de 2013 09:25 por - Imprensa

postado em 17/01/2013 08:17 no blog de Gustavo Pacheco.

Incorporar o LibreOffice em um Form é uma alternativa interessante no desenvolvimento de sistemas onde é necessário manipular documentos no padrão ODF. É possível fazer isso em várias linguagens de programação e, dependendo da complexidade do código, o resultado pode ser muito bom.

Neste tutorial, apresentarei a incorporação do LibreOffice no Visual Basic.NET utilizando o controle EmbeddedOpenOffice em Microsoft Visual Basic 2010 Express e Windows XP. O controle EmbeddedOpenOffice foi desenvolvido pela Sun pelo desenvolvedor Lars Behrmann em meados de 2005. Desde então, o projeto foi hospedado em diversos lugares (SourceForge, Google Code e ODF Toolkit). Apesar do projeto, hoje, não fazer mais parte do ODFToolkit, o controle continua funcional no .NET (fiz testes similares no Microsoft Visual C# 2010 Express com resultados corretos). Caso necessário, o código está disponível integralmente para desenvolvimento. 

Verificando a configuração do LibreOffice

O componente EmbeddedOpenOffice depende do arquivo so_activex.dll no diretório indicado em EmbeddedOpenOffice1.OpenOfficePath (normalmente, C:\Arquivos de programas\LibreOffice 3.6\program).

 (clique na figura abaixo para aumentá-la)

Esse arquivo só é instalado através da instalação personalizada do LibreOffice (recomendamos a versão 3.6.4):

Configuração do controle EmbeddedOpenOffice

O primeiro passo é obter o controle EmbeddedOpenOffice em:
http://sourceforge.net/projects/aodl/files/Embedded%20OpenOffice/Embedded%20OpenOffice%20.net%20Control%201.0.0.5/ 

Depois, descompacte o arquivo EmbeddedOpenOffice_1_0_0_5.net.zip e, em ..\EmbeddedOpenOffice_1_0_0_5.net\Control\compiled, executar register.bat para registrar o componente.

A seguir, adicione as seguintes DLLs ao ambiente (no Visual Basic 2010 Express Edition, em Project... > Add reference...) e a Toolbox (botão direito do mouse sobre a Toolbox > Choose items... > .NET Framework Componentes > Browse...).

EmbeddedOpenOfficeStartHelper.dll
EmbeddedOpenOfficenet.dll 

Por fim, o componente estará disponível na Toolbox de controles:


No seu código VB.NET, o controle é iniciado com o seguinte trecho: 

'definição do caminho padrão do LibreOffice
EmbeddedOpenOffice1.OpenOfficePath = "C:\Arquivos de programas\LibreOffice 3.6\program" 

'definição de uma pasta temporária
EmbeddedOpenOffice1.TempFolder = "c:\TEMP" 

'definição do caminho do arquivo e da abertura como somente leitura (true) ou não (false).
EmbeddedOpenOffice1.LoadDocument("C:\teste2.odt", false)

Obtendo o controle do documento via código

O controle EmbeddedOpenOffice funciona apenas como um frame de exibição de uma janela componente do LibreOffice. Ou seja, o controle não fornece métodos e propriedades para o acesso ao conteúdo do documento. É, de fato, uma lacuna no desenvolvimento do controle. 

Há no entanto, um meio poderoso para obtermos o controle do documento. Fazemos isso através da conexão VB.NET com a instância local do LibreOffice. A partir da conexão (mais especificamente a partir do objeto objDesktop), é possível descobrir o frame do documento através do seu título:

Private Sub listarFrames_Click(ByVal sender As System.Object, ByVal e As System.EventArgs) Handles Button1.Click, Button2.Click
'************************** 
'* Procedimento para a prova de conceito de uso do controle EmpeddedOpenOffice 
'* Gustavo Buzzatti Pacheco - gbpacheco@prodesk.com.br 
'* Projeto: ODF 
'* 3 de janeiro de 2013 
'************************** 
'
Dim objServiceManager As Object 
Dim objCoreReflection As Object 
Dim objDesktop As Object 
Dim vFrames As Object 'coleção dos frames 
Dim objModel As Object 'modelo do frame 
Dim i As Integer 'índice dos frames 
Dim s As String 'string com o título e o caminho do arquivo 

'Criação da conexão com a instância local do LibreOffice
objServiceManager = CreateObject("com.sun.star.ServiceManager") 
objCoreReflection = objServiceManager.createInstance("com.sun.star.reflection.CoreReflection") 
objDesktop = objServiceManager.createInstance("com.sun.star.frame.Desktop") 

REM queryFrames(4) da interface XFrames busca todos os frames filhos do desktop

s = ""

vFrames = objDesktop.getFrames().queryFrames(4) 'com.sun.star.frame.FrameSearchFlag.CHILDREN - http://www.openoffice.org/api/docs/common/ref/com/sun/star/frame/FrameSearchFlag.html#CHILDREN

For i = LBound(vFrames) To UBound(vFrames)
      objModel = vFrames(i).getController().getModel() 
       s = s & vFrames(i).Title & " " & objModel.getURL() & " " & Chr(10) 'coloca o título e a URL na variável s 
Next (i) 

MsgBox(s, 0, "Frame Titles") ' mostra o conteúdo da variável s

End Sub

Atenção para os detalhes...

Caso o código com o componente EmbeddedOpenOffice seja executado sem que o LibreOffice tenha sido inicializado antes (via manual ou via quickstart), é possível que você obtenha o seguinte erro:


O problema é derivado de algumas alterações na definição de opções de inicialização do LibreOffice. Já foi documentado no sistema de gerenciamento de bugs do LibreOffice e já está resolvido para a versão  3.6.5.2:

https://bugs.freedesktop.org/show_bug.cgi?id=57203

Como contingência (e, também como forma de melhorar o desempenho da inicialização do LibreOffice embutido no código VB.NET), podemos executar o quickstart do LibreOffice via código antes da inicialização do controle EmbeddedOpenOffice em:

C:\Arquivos de programas\LibreOffice 3.6\program\quickstart.exe

O quickstart é um pequeno aplicativo que roda no IconTray do Windows com o objetivo de abrir rapidamente documentos no LibreOffice. Ou seja, uma pré-execução do aplicativo. 

 Executar o quickstart (mesmo que seja via código) melhorará o desempenho do seu código e evitará a mensagem de erro em versões anteriores à 3.6.5. 

Conclusão

O resultado final de um projeto de sistema que incorpore o LibreOffice pode ser algo extremamente útil se considerarmos a grande quantidade de tarefas do usuário que é baseada em documentação (mesmo que seja para algo simples como, por exemplo, a exibição de um documento somente leitura). 

Utilizando o controle Ribbon (http://officeribbon.codeplex.com/) é possível, por exemplo, criar uma barra de acesso aos recursos do aplicativo similar à do Microsoft Office 2010. O trabalho mais simples seria associar cada botão da barra ao seu respectivo comando UNO da API do LibreOffice. O trabalho mais difícil seria gerenciar o acesso aos documentos através de uma estrutura de janelas MDI. 


O exemplo fica, então, apenas como uma curiosidade. Se o objetivo é deixar o seu LibreOffice mais bonito, eu sugiro esperar um pouco mais pela versão 4.0, que permitirá a personalização da interface com o Firefox Personas. Curioso? Leia mais em: http://blog.pt-br.libreoffice.org/2013/01/11/tatuagens-e-ringtones/ .

Para comentários e sugestões, utilize twitter ou e-mail.

RC1 do LibreOffice 4.0 traz suporte para temas compatíveis com Firefox

postado em 21 de jan de 2013 09:22 por - Imprensa

The Document Foundation anunciou o primeiro de três planejados release candidates da versão 4.0 do ibreOffice. O RC1 traz correção para 70 bugs desde o lançamento do LibreOffice 4.0.0 Beta2, no final de dezembro.

O LibreOffice 4.0 inclui várias melhorias em relação às séries 3.x da suíte de escritório. Agora, todas as partes da suíte suportam o padrão aberto CMIS, que permite que uma aplicação acesse sistemas de gerenciamento de conteúdo, como Alfresco, Sharepoint e Nuxeo.

Leia a notícia completa em iMasters.

VII Solisc receberá o I LibreOffice HackDay

postado em 30 de out de 2012 13:17 por - Imprensa

Ocorrerá no VII Solisc, o LibreOffice HackDay, o primeiro evento do tipo no Brasil. o evento contará com a presença do desenvolvedor do Brasil para o LibreOffice, Olivier Hallot e outros membros da comunidade LibreOffice como David Emmerich, Ricardo Montania, Marcos Souza e Eliane Domingos.

Esta atividade começará às 09h00min e com término previsto às 18h00min. Para os interessados, o valor da atividade custará apenas R$ 10,00.

O QUE É UM HACK DAY ?

  • Um encontro entre utilizadores de nível mais avançado (programação, design, testes e traduções).
  • Um espaço para o desenvolvimento de novo código com contribuições de código para o desenvolvimento do LibreOffice.
  • Uma discussão entre desenvolvedores e geração de idéias que podem vir a ser implementadas.

O QUE NÃO É UM HACK DAY ?

  • Não é para qualquer utilizador do LibreOffice
  • Um dia de palestras, talks ou apresentações de qualquer tipo.

O PROPÓSITO COMUNITÁRIO

  • Criar um ambiente descontraído, de convívio e partilha entre pessoas da comunidade.
  • Angariar novos contribuidores para o desenvolvimento do LibreOffice.
  • Educar para a o sentido de comunidade inerente no projeto e de meritocracia.
  • Criar hábitos de contribuição para o core;
  • Realização de limpeza de código
Para mais detalhes, visite a página oficial do evento.

LibreOffice 3.6.1 é lançado com novos recursos

postado em 29 de ago de 2012 07:55 por - Imprensa   [ 29 de ago de 2012 08:00 atualizado‎(s)‎ ]

Importação de arquivos CDR do CorelDraw é destaque no LibreOffice 3.6.x.

Em menos de um mês após o lançamento da versão 3.6.0, a The Document Foundation (TDF) noticiou a disponibilidade da versão 3.6.1. O anúncio foi feito hoje, 29 de agosto de 2012, e reitera o procedimento adotado no lançamento de versões anteriores: lançar rapidamente versões melhores e mais estáveis dentro de um mesmo ciclo de desenvolvimento. 
 
De acordo com o roadmap de versões do LibreOffice, a versão 3.6.1 pode ser uma ótima versão para testes das novas funcionalidades da série 3.6.x. A versão contempla, entre diversos outros recursos, o novo filtro de importação de arquivos .CDR do CorelDraw (exemplificado na imagem da matéria, ao lado), a importação de objetos SmartArt do Microsoft Office 2010 no Impress, a eliminação do limite de três critérios de ordenação no Calc, o contador de palavras na barra de status do Writer e a inclusão de marca d'água na exportação de arquivos PDF. Especificamente para o usuário brasileiro, o dicionário de correção ortográfica, sob responsabilidade de Raimundo Moura, foi atualizado. 

Cabe salientar, no entanto, que os usuários corporativos ainda devem aguardar um pouco mais. Para esses usuários, a recomendação é que seja utilizada a versão 3.5.6, considerada adequada para o uso em ambientes mais conservadores em relação à adoção de novas versões. 

O anúncio da nova versão salienta, ainda, a disponibilidade do LibreOffice em mais de 100 idiomas e destaca a homologação do pacote para os projetos de implantação do padrão Open Document Format (ODF) na região italiana da Úmbria e na Câmara Municipal de Vieira do Minho em Portugal. 

 Para download, visite os links abaixo conforme a versão desejada:

Opinião: como a Microsoft foi forçada a abrir o Office

postado em 21 de ago de 2012 06:53 por - Imprensa   [ 21 de ago de 2012 06:54 atualizado‎(s)‎ ]


Em um texto publicado em um dos blogs da Microsoft esta semana, Jim Thatcher, executivo da empresa responsável pelo suporte a padrões no Microsoft Office, descreveu algumas das mudanças na próxima versão do produto:

"Na próxima versão do Office adicionamos dois novos formatos de arquivo que podem ser usados: Open XML estrito e Open Document Format (ODF) 1.2. Também adicionamos suporte à abertura de arquivos PDF, que podem ser editados dentro do Word e salvos em qualquer um dos formatos suportados. Ao adicionar suporte a estes formatos de arquivo padronizados, o Microsoft Office 2013 dá aos usuários mais escolhas na interoperabilidade de documentos."

Nestas poucas palavras encontramos ecos de uma lição de história que demonstra o poder do código aberto no valioso estímulo à competição e inovação no mercado de sofware. Formatos de arquivo podem não ser o assunto mais interessante, mas o anúncio destaca dois fatos importantes sobre o código aberto. Primeiro, software de código aberto pode perfeitamente definir o ritmo do mercado de forma competitiva. Segundo, a inovação do código aberto fornece os “ombros dos gigantes” nos quais outros podem se apoiar.

O triunfo do ODF

No início da década passada o Microsoft Office havia eliminado quase toda a competição no mercado de software de produtividade. Diante desde quase-monopólio a Sun Microsystems lançou em 2000 um projeto de código aberto baseado em um pacote Office de nicho chamado StarOffice. Batizado de OpenOffice.org, ele gradualmente ganhou notoriedade como a alternativa aberta ao Microsoft Office.

Embora alguns possam ser rápidos ao acusar o OpenOffice.org de ser um “derivado” do Office, seu desenvolvimento na verdade é paralelo à primeira versão do Microsoft Word (em 1983, para o sistema operacional Xenix), tendo sido criado em 1984 para os computadores domésticos populares da época: o Commodore 64 e o Amstrad CPC rodando o CP/M. Mais tarde ele evoluiu para um pacote office para o DOS, OS/2 Warp (da IBM) e Microsoft Windows.  Quando a Sun Microsystems adquiriu o StarOffice, em 1999, ele já era um aplicativo multifunção completo e capaz, disponível em versões para todas as plataformas populares da época.

Chegando à Sun, os desenvolvedores do StarOffice/OpenOffice.org aceleraram um projeto para criar um formato de arquivo moderno, baseado em XML, para seu software. O uso de um formato baseado em XML tornaria muito mais fácil promover a interoperabilidade com outras ferramentas de escritório, bem como manter a compatibilidade entre versões.

O segundo benefício era justamente o maior problema de todos os usuários de aplicativos de escritório, então a Sun tomou a iniciativa de ir à OASIS (Organization for the Advancement of Structured Information Standards - Organização para o Avanço de Padrões em Informação Estruturada) e propor uma solução: um formato de arquivo padronizado para softwares de produtividade. Estive envolvido no processo e sei que a Sun abordou outros membros da OASIS para colaborar no projeto. Entretanto a Microsoft rejeitou a iniciativa, declarando-a “redundante”. Afinal, a empresa ganhava muito dinheiro com os “upgrades” resultantes da pressão social aplicada por outros usuários do Word a cada vez que o formato de arquivo mudava.

A OASIS concordou com a proposta e o resultado foi o padrão OpenDocument, ou ODF. Apesar de um início tímido, a adoção do ODF cresceu como uma bola de neve, e hoje ele é reconhecido pela ISO (International Standards Organization - Organização Internacional para Padronização) e um padrão nacional aprovado em vários países no mundo. A pressão resultante sobre a Microsoft se tornou enorme, e a empresa respondeu manipulando organizações internacionais para criar um formato de arquivo XML baseado fortemente nos formatos usados pelo Microsoft Office. Este padrão foi ratificado pela ISO em 2008.

Demorou cerca de sete anos, mas a Microsoft finalmente cedeu. Em Abril a empresa anunciou que irá implementar totalmente no Office 2013 (Office 15) o suporte ao padrão que forçou à ISO (ISO/IEC 29500, chamado de OOXML pela maioria das pessoas) e o padrão aberto que ela emulou, desenvolvido pela comunidade (ISO/IEC 26300, chamado de ODF pela maioria das pessoas).

O código aberto mudou o mercado, forçando a Microsoft a responder e adotar tanto a compatibilidade de arquivos entre versões quanto o conceito de interoperabilidade. Sem o código aberto, nada disto teria acontecido. Com o código aberto, mesmo que não use o ODF, você se beneficia de um mercado mais competitivo e revigorado.

O PDF recebe o que merece. Ou quase

O segundo ponto no post no blog da Microsoft destaca o poder da inovação aberta. A comunidade de desenvolvedores do OpenOffice.org em sua maior parte migrou em 2010 - junto com o código-fonte - para um novo projeto Open Source chamado LibreOffice. Tanto o OpenOffice.org quanto o LibreOffice há muito suportam a criação de arquivos PDF. O Microsoft Office eventualmente copiou o mesmo recurso, inicialmente como um add-on para o Office 2007 e mais tarde como um recurso padrão. Mas o LibreOffice também inclui a valiosa capacidade de criar PDFs Híbridos, que podem mais tarde ser abertos e editados com o LibreOffice. O vídeo abaixo explica como utilizar este recurso. 

E parece que ele também irá aparecer no Microsoft Office:

"Nesta versão a Microsoft adiciona uma opção que chamamos de PDF Reflow, que permite abrir arquivos PDF como documentos Office editáveis. Tristan Davis, gerente de programa do Word na Microsoft, explica: “Com este recurso você pode transformar um PDF de volta em um documento do Word completamente editável. Nós “rehidratamos” cabeçalhos, listas numeradas, tabelas, notas de rodapé e outros elementos, analisando o conteúdo do arquivo PDF."

O problema aqui é que a Microsoft está limitando a interoperabilidade e a compatibilidade tanto do suporte ao ODF quando de sua versão dos PDFs Híbridos. Por motivos ainda não explicados, a empresa não irá oferecer a capacidade de salvar documentos num formato ODF compatível com versões anteriores (a versão atualmente suportada no Office 2010 é a 1.1), então será difícil usar o ODF em um ambiente de trabalho híbrido. Da mesma forma, apesar de suportar a abertura de arquivos PDF para edição, a Microsoft não irá suportar a abertura dos PDFs Híbridos do LibreOffice. Talvez a ameaça competitiva do software de código aberto ainda seja grande demais.

Assim como a adição da capacidade de gerar arquivos PDF, a decisão de incluir a possibilidade de editar estes arquivos é uma bem-vinda adoção do que já foi testado e experimentado com código aberto. Esta é a dinâmica da inovação. Ideias geram ideias, e a inovação é resultado da inspiração.

A diferença aqui é que as comunidades de código aberto tornam suas ideias livremente disponíveis para outros, então não haverá ameaças de processos e acordos de licenciamento coercivos (e confidenciais). É assim que as coisas devem ser se quisermos que a inovação continue a brotar como resultado de um mercado vigorosamente competitivo.
Fonte: IDG Now!

40º Seminário de Tecnologia da Informação para a Gestão Pública

postado em 15 de ago de 2012 06:00 por Gustavo Pacheco

O 40º Seminário Nacional de TIC na Gestão Pública, SECOP 2012, será realizado nos dias 19, 20 e 21 de setembro em Gramado, no Hotel Serrano.  A Associação Brasileira de Entidades Estaduais de Tecnologia da Informação e Comunicação – ABEP promoverá o SECOP 2012, em parceria com o Governo do Estado do Rio Grande do Sul, através da PROCERGS – Companhia de Processamento do Estado do Rio Grande do Sul.

O tema este ano é “Dados Abertos: Uma (R)Evolução do e-Gov ” e durante o evento serão realizadas palestras, painéis, rodadas de negócios, oficinas e espaços para discussões de temas relevantes do setor de informática pública, tendo como público alvo os profissionais de TIC, gestores públicos, acadêmicos e instituições de pesquisas, além profissionais do setor privado.

Simultaneamente ao seminário, acontecerá a XI edição do Prêmio Excelência em Governo Eletrônico, que é promovido pela ABEP e pelo Ministério de Planejamento, Orçamento e Gestão, visando estimular, desenvolver e prestigiar a inovação e a excelência nas iniciativas de governo eletrônico e de modernização, através da submissão de trabalhos que serão analisados pela Fundação Instituto de Administração - FIA, da Universidade de São Paulo-USP.

Para inscrições, visite o site oficial do evento em: http://www.secop2012.rs.gov.br.

1-10 of 55